OBRA DA EMERGÊNCIA DO HOSPITAL MUNICIPAL DE SANTARÉM SEGUE EM RITMO LENTO

Trabalhos seguem em ritmo lento e sem data de conclusão

A demora na reabertura do setor de emergência do Hospital Municipal de Santarém foi um dos temas defendidos pelo vereador Valdir Matias Jr. Ele criticou a administração municipal pela demora dos serviços, sobretudo porque, em meio à pandemia do Coronavírus, o HMS está fazendo falta no atendimento à população, uma que está sobrecarregando os serviços na Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24 horas). As obras de revitalização da recepção da urgência e emergência do Hospital Alberto Tolentino Sotelo em Santarém (HMS), tiveram início no mês de fevereiro. O vereador lembrou que já se passaram mais de 90 dias desde o início dos trabalhos, que seguem lentos e com a previsão agora de todo o serviço ficar pronto apenas em agosto.

 

O vice-presidente do Poder Legislativo manifestou sua insatisfação com a demora da conclusão obra, principalmente quando o município enfrenta uma guerra diária contra a Covid-19 e os casos seguem aumentando, inclusive com mortes de pacientes.

 

Para ele, em tempos de pandemia, a Prefeitura deveria agilizar o término da obra. “Estamos vivendo uma pandemia e a Prefeitura não prioriza esse serviço importante para a população. O setor de emergência está parado e enquanto isso, muita gente que necessita não tem acesso ao serviço público. A UPA 24 horas tem suas dificuldades e o setor de urgência e emergência do HMS está fazendo muita falta”, destacou o parlamentar, cobrando do prefeito Nélio Aguiar medidas mais urgentes para concluir os trabalhos do HMS.

Comentários